Especial- Óleos Essenciais

 

Óleos essenciais estão muito ligados às plantas e ervas medicinais. Esse conceito surgiu há mais de 200 anos . Desde 1981 o laboratório NEALS Yard Remedies comercializa óleos puros e naturais. A procedência na hora de adquirir os óleos também é importante, pois o efeito de um óleo puro e realmente natural são bem diferentes. Os óleos puros são tão concentrados que para serem usados precisamos de um óleo base.

E olha só que interessante: acredita-se que os compostos aromáticos dos óleos essenciais ajudam a planta a sobreviver, repelindo insetinhos indesejáveis, assim como fornecendo à ela também todos os benefícios que eles têm. Se fazem bem para nós, algum efeito tem que ter para as produtoras deles, certo? Talvez eles sejam como nossos hormônios nos fortalecendo e ajudando em nossas funções vitais. E todas as plantas possuem óleos essenciais e podem ser extraídos de  diversas partes dependendo da planta: dos galhos, folhas, flores. Das frutas cítricas extraímos o óleo da casca. Temos a falsa impressão de que todos os óleos são extraídos das flores, mas não. Muitas árvores também exalam seu perfume nas cascas do tronco, mas é uma percepção que ainda não é inserida em nossa rotina. Associamos os aromas muito às flores, mas é uma surpresa descobrir que qualquer parte de uma planta pode-se extrair o óleo.

Hoje temos por volta de 150 óleos essenciais que são comercializados e usados de forma caseira, em indústrias de cosméticos, farmácias de manipulação e até em empresas farmacêuticas.

Dentre ervas e plantas que oferecem óleos essenciais e que produzimos aqui dentro da Fazenda temos o OE de hortelã, o de gengibre , o de manjericão que é antissépticoe  regula hormônios, o de rosas (assim como a cânfora) que é regenerador de células, revigorante (pois diminuía a taxa de adrenalina) e anti-inflamatório.

Camomila que é antidepressivo, pois aumenta o bem-estar e humor. As lavandas, rosas e gerânios ajudam o corpo a processar o estresse ao recarregar as glândulas adrenais.

E o OE de Alecrim? “Alecrim, alecrim dourado que nasceu no mato e foi semeado……” para nós além de uma boa revigorada ele ajuda na concentração e foco. Por isso que uma boa “fungada” num mação de alecrim causa um bem-estar dos Deuses. Você já fez isso? Nossa, recomendo!!!!

OE de Pimenta do Reino ajuda os fumantes contra o vício, o de tomilho alivia dores, o de sálvia fortalece a imunidade. Não é incrível? Não é à toa que as ervas são tão aromáticas e saborosas, acho que toda essa potência “holística (tratar corpo, mente e espírito)” são transmitidas pelo sabor também! Por isso que as preparações ficam tão mais especiais quando usamos as ervas, pois elas mexem com nossos sentidos como um todo.

OE de jasmim e rosa são óleos de maior longevidade dentre todos os óleos e podem permanecer inalterados por até 5 anos.

Uma confusão muito comum é como é feita a extração dos óleos . é interessante sabermos para entender o porque do seu real valor de mercado. Algumas plantas dão um trabalho danado para a extração. Existem 4 formas de extração que vai variar da espécies e planta:

– Destilação por vapor, que é o mais usado.

-Prensagem (usado para a extração das frutas cítricas, quando prensamos a casca das frutas)

-Extração absoluta (produção do óleo de flores muito delicadas)

-Extração com CO2 (o óleo fica mais concentrado)

“A Essência de uma planta está presente no óleo essencial puro”, por isso reafirmo aqui a importância de você checar a autenticidade do óleo. Prefira sempre o óleo essencial orgânico. Os valores variam de óleo para óleo. Por exemplo: Para 1 kg de OE de  nelóri, precisamos de 1 tonelada de flores de laranja, ao mesmo tempo que com 1 tonelada de cravo da índia eu consigo 200 kg de OE, por isso ser mais barato. O rendimento numa planta varia entre 0,1% a 25 % a proporção do OE.

Outros cuidados. Ao armazenar óleo essencial em casa usar sempre frascos de vidro escuros e   (os de plástico podem contaminar o OE) e cuidado, pois são inflamáveis. Os óleos considerados base duram menos que os OE puros. Se atentar para a validade também é importante. Vale ressaltar que o OE puro pode causar irritações em mucosas, por isso respeitar as proporções indicadas nos rótulos.

Vamos aproveitar os benefícios das plantas na íntegra.

É isso. Qualquer dúvida é só escrever para nós. (deborah@fazendamaria.com.br)

Bjos

Deborah Gaiotto

5 motivos para consumir orgânicos

 

  • Nossa saúde

Consumir produtos mais naturais e saudáveis nunca foi tão divulgado como tem sido nos últimos anos. Costumamos andar no piloto automático e mesmo tendo muitas informações em redes sociais e mídias dificilmente paramos para pensar em detalhes importantes. Até que ponto consumir mais frutas e verduras se torna realmente mais saudável? Nós que somos produtores agrícolas, aliás muito mais que isso, nós trabalhamos com produção de manejo orgânico, conseguimos enxergar isso desde a raiz literalmente rs. E nós precisamos ser ouvidos. Pois estamos na lida dia-a-dia e vemos como aquele produto foi produzido.

A consciência de que o que se coloca no solo é absorvido pelos vegetais e frutas ainda está numa fatia pequena da população. Para quem já despertou para isso Parabéns! Mas para quem ainda não se deu conta não tem problema, o importante é começar a abrir o olhar e se conscientizar na hora de comprar um produto para colocar na sua mesa.

O fato é, ao produzir de forma orgânica nós nos utilizamos de microrganismos naturais (que já existem em nosso organismo inclusive), matéria orgânica REAL, nos abstemos de químicos e sintéticos. E quando digo químico e sintéticos peço que faça uma comparação com bombas e suplementos tomados por quem pratica atividade física. A pessoa força uma situação que não é próprio do seu organismo.

Na produção convencional funciona assim, são inseridos itens para forçar que aquele produto cresça mais rápido e com isso perca muitas de suas características biológicas verdadeiras. Além de produzir produtos que chegam a absorver até 85% (referente à sua massa) de produtos químicos. E para onde vai tudo isso? Para nosso organismo, nossos filhos, para nossa mesa.

Consumir produtos orgânicos (orgânico significa “vida, organismo. Derivado de organismos vivos ou neles ocorrente”) significa consumir o que é REAL. Portanto, não adianta consumir mais frutas e legumes convencionais e ingerir mais agrotóxicos. Alimentar-se de forma realmente natural é PENSAR DE ONDE VEM SEU ALIMENTO.

  • Preservação ambiental

Produzir de forma orgânica significa respeitar o meio ambiente. A fauna, a flora, todos os insetos, incentivar a diversidade climática, a proliferação de microrganismos, plantar árvores, ver abelhas, besouros, borboletas, cheiro, umidade, sol, sombra, água da chuva. Cultivar o solo com a inteligência de uma Floresta. A Floresta se sustenta sozinha, não é mesmo? Por quê? Lá em vida, tem respeito com o ecossistema.

Basicamente produzir orgânicos é se utilizar a inteligência que já está aí há milhões de anos , em nossas vistas o tempo todo mas como sempre estamos no piloto automático e não enxergamos, apenas vemos.

E se precisamos de algum subsídio para espantar alguma praga, nos utilizamos de soluções naturais, vindas da natureza. E as pragas por aqui nem sempre são um problema muito grande, pois aqui trabalhamos o solo para que a planta já cresça fortalecida o suficiente (como nós quando nos alimentamos adequadamente e pegamos um resfriado) para quando a praga vier ela estará mais forte para combatê-la.

 

  • Voltamos ao ciclo natural da vida, respeitamos o tempo e espaço de cada planta

 

Assim como nós temos nosso tempo de “maturação” e aprendizado. Nascemos bebês , aprendemos a nos alimentar com sólidos e vamos nos desenvolvendo no decorrer dos anos. Não adianta você querer que seu filho de 7 anos compreenda tudo o que você com 35 já sabe. É impossível. Na natureza é a mesma coisa. Cada vegetal tem sua época específica de vida, tem épocas que ele não nasce, tem épocas que temos para “dar e vender” como dizem. Cada planta nasce dentro do seu ciclo de vida, não forçamos que cresça mais rápido (com químicos) e nem a deixamos sozinha. Ela tem seu solo rico em microrganismos, tem seus polinizadores, tem vento. VIDA. O homem começou a se esquecer disso quando iniciou a devastação da diversidade Florestal para começar as monoculturas (por volta 1700) na Era das Grandes Embarcaçoes e da Colonização. Por isso reforço aqui mais uma vez, vamos ENXERGAR e não só OLHAR.

  • Policultura

 

Já pegando o gancho do último item, um fato importante é a Policultura. Uma espécie também depende de outras na hora do seu crescimento (assim como o organismo Floresta) assim como a policultura ela enriquece ainda mais o solo.

E o fato mais importante aqui é que num mesmo espaço de terra conseguimos plantar muito mais variedades ao mesmo tempo do que uma produção convencional. Assim, muitas plantas podem nascer em conjunto aumentado a variedade na oferta dos produtos numa mesma época.

  • Lei da oferta e da procura- desmistificando a produção orgânica

 

E aqui entra um item muito importante. Para aumentar nossa margem de produtos orgânicos, precisamos da procura. Quanto maior a procura, maior o interesse em produtores se transformarem em orgânicos. Temos dados muito pequenos ainda para mostrar. No Brasil temos 12 000 produtores pequenos de orgânicos, mas isso represento menos de 1% da fatia agrícola do país. Nós da FAZENDA MARIA lutamos por mudar isso. E você que está lendo esse artigo também pode ajudar. COMO? Incentivando seus amigos a consumir mais orgânicos.

Obrigada!

Qualquer dúvida é só mandar um email: deborah@fazendamaria.com.br

Bjos