Produtos Orgânicos, são Orgânicos Mesmo?

YDTI8391

Essa é uma das maiores dores de quem vai comprar orgânicos. Isso pode ser sim um grande dilema se você não entender como funciona nosso sistema de orgânicos no Brasil.
Nós vivemos num país agrícola muito grande, no qual apenas 0,46% da produção agrícola é orgânica. Por isso estamos envoltos ainda de muitos produtores convencionais. Isso não é legal, mas isso acontece no mundo todo. A Austrália que é a maior produtora agrícola orgânica do mundo tem a irrisória fatia de terra de 2,93% destinada à produção sem pesticidas.
Por isso dizemos que se for feita uma análise minuciosa nos orgânicos podemos encontrar vestígios de químicos, pois estamos envoltos ainda de muita produção convencional no mundo todo. Como os coliformes fecais em produtos industrializados. Por isso lutamos todos os dias, para entender como podemos agir para mudar o mundo. Como? Produzindo orgânicos.
Voltando ao assunto inicial. Para confiar num produto orgânico aqui no Brasil muitas vezes nós precisamos pagar um pouco mais caro, mas isso significa confiança no produto que está comprando.
Algumas sugestões para te ajudar: Comprar direto do produtor ainda é a melhor opção. Um produtor com tradição e consistência no mercado te garante um padrão saudável de produção. Outra opção é comprar os produtos embalados. Parece irônico e contraditório comprar orgânico embalado. E é. Nós concordamos. Mas isso ainda é uma forma de garantir ao consumidor acostumado a comprar em mercados convencionais que seu produto é de confiança.
Como assim? Explicamos: nas etiquetas de todo produto certificado existe um código de rastreabilidade imprescindível para quem é produtor com selo. Caso surja qualquer dúvida do consumidor, ele pode entrar no site do Ministério da Agricultura, digitar o código e tirar qualquer receio.
Existem feiras credenciadas também, que permite ao consumidor solicitar esse mesmo código para garantir que está comprando um produto Real, Verdadeiro. Mas precisa ir em feiras confiáveis.
E existem os produtores que entregam direto na sua casa, como nós da Fazenda Maria. Que estamos no ramo há 14 anos e fazemos tudo pensando na saúde nossa, dos nossos colaboradores, clientes e também na PRESERVAÇÃO AMBIENTAL. Porque produzir orgânico é ter um cantinho de preservação, é respeitar fauna e flora. E quem consome orgânico consome produtos ricos em compostos bioativos. Produtos dentro da sua estação, cheios de sabor e perfeitos em sua época. Porque cada produto tem sua época. Sua estação. Não podemos esquecer isso. Nunca.
E se você já consome orgânicos, Parabéns! Você está contribuindo para a preservação Ambiental!

Bjos cheio de sustentabilidade
Ficou alguma dúvida? Entre em contato: Deborah@fazendamaria.com.br

Equipe Fazenda Maria

PANCS

Plantas Alimentícias Não Convencionais. Ouvimos falar tanto nessa nomenclatura, mas nem sempre é realmente compreendida como deveria. O termo PANC surgiu só em 2007 e diz respeito àquelas plantas que não imaginamos que podemos comer, como as folhas do Hibisco, às flores tidas apenas como ornamentais como as Camélias e Ypês e aos famosos matos que são considerados plantas daninhas para a produção convencional agrícola, e que para produtores orgânicos significam muito mais que isso. Dentre esses matos citamos as beldroegas, trevos, serralha, o caruru. E quando digo que significam muito mais que isso quero dizer que o crescimento espontâneo (sim, a maioria das Pancs é de crescimento espontâneo) significa baixo custo na produção de algo que tem muitas vitaminas e ainda pode ser misturado às preparações, ou então pode caracterizar deficiência ou excesso de nutrientes no solo ou simplesmente ajuda numa adubação verde natural durante o pousio dos canteiros.

As ervas aromáticas não são Pancs, mas suas flores são consideradas, pois não se tem o hábito de consumí-las. Assim como a flor da mostarda e a da rúcula, embora a rúcula e a mostarda não sejam.

Estima-se que existam no mundo  mais de 300 000 espécies de plantas com partes de comer, mas 90% da alimentação do mundo tem como base apenas 20 espécies. Nos últimos 10 anos , os transgênicos ocupam mais de 90 % da produção agrícola mundial, uma estatística que chega a ser desanimadora , mas nós como produtores lutamos por levar informação e conscientização aos consumidores.

O Brasil é muito rico em biodiversidade, chegamos a ter 25% da biodiversidade total do mundo. Mas isso é pouquíssimo explorado, pois ainda importamos muitas coisas que poderiam ser cultivadas e consumidas aqui. Um exemplo que costumo citar em minhas palestras são as geleias. Temos muito frutos amazônicos que poderiam dar geleias deliciosas e extremamente comercializáveis, como o cupuaçu, o umbu, o pequi. Temos também algumas espécies de maracujás espontâneos que poderiam ser usados como farinha para algumas preparações e compotas através do mesocarpo.

O Brasil possui 3 000 espécies catalogadas com potencial alimentício, quando na verdade não utilizamos sequer 1/3 dessa quantidade.

Por isso continuo batendo na tecla da Oferta e Procura, se pararmos para analisar há 5 anos atrás não encontrávamos nem ¼ de produtos orgânicos nas gôndolas e graças a procura maior e constante a oferta também aumentou.

Sei que temos muitos empecilhos como falta de incentivo, falta de informação dos rurais,  e existe também o receio e medo de produtores em saber a real aceitação no mercado desses nativos. Temos um longo caminho a percorrer, o trabalho é de formiga, mas até onde puder estaremos lutando por essa mudança. Contamos com a ajuda de cada um aqui.

Um abraço

 

5 motivos para consumir orgânicos

 

  • Nossa saúde

Consumir produtos mais naturais e saudáveis nunca foi tão divulgado como tem sido nos últimos anos. Costumamos andar no piloto automático e mesmo tendo muitas informações em redes sociais e mídias dificilmente paramos para pensar em detalhes importantes. Até que ponto consumir mais frutas e verduras se torna realmente mais saudável? Nós que somos produtores agrícolas, aliás muito mais que isso, nós trabalhamos com produção de manejo orgânico, conseguimos enxergar isso desde a raiz literalmente rs. E nós precisamos ser ouvidos. Pois estamos na lida dia-a-dia e vemos como aquele produto foi produzido.

A consciência de que o que se coloca no solo é absorvido pelos vegetais e frutas ainda está numa fatia pequena da população. Para quem já despertou para isso Parabéns! Mas para quem ainda não se deu conta não tem problema, o importante é começar a abrir o olhar e se conscientizar na hora de comprar um produto para colocar na sua mesa.

O fato é, ao produzir de forma orgânica nós nos utilizamos de microrganismos naturais (que já existem em nosso organismo inclusive), matéria orgânica REAL, nos abstemos de químicos e sintéticos. E quando digo químico e sintéticos peço que faça uma comparação com bombas e suplementos tomados por quem pratica atividade física. A pessoa força uma situação que não é próprio do seu organismo.

Na produção convencional funciona assim, são inseridos itens para forçar que aquele produto cresça mais rápido e com isso perca muitas de suas características biológicas verdadeiras. Além de produzir produtos que chegam a absorver até 85% (referente à sua massa) de produtos químicos. E para onde vai tudo isso? Para nosso organismo, nossos filhos, para nossa mesa.

Consumir produtos orgânicos (orgânico significa “vida, organismo. Derivado de organismos vivos ou neles ocorrente”) significa consumir o que é REAL. Portanto, não adianta consumir mais frutas e legumes convencionais e ingerir mais agrotóxicos. Alimentar-se de forma realmente natural é PENSAR DE ONDE VEM SEU ALIMENTO.

  • Preservação ambiental

Produzir de forma orgânica significa respeitar o meio ambiente. A fauna, a flora, todos os insetos, incentivar a diversidade climática, a proliferação de microrganismos, plantar árvores, ver abelhas, besouros, borboletas, cheiro, umidade, sol, sombra, água da chuva. Cultivar o solo com a inteligência de uma Floresta. A Floresta se sustenta sozinha, não é mesmo? Por quê? Lá em vida, tem respeito com o ecossistema.

Basicamente produzir orgânicos é se utilizar a inteligência que já está aí há milhões de anos , em nossas vistas o tempo todo mas como sempre estamos no piloto automático e não enxergamos, apenas vemos.

E se precisamos de algum subsídio para espantar alguma praga, nos utilizamos de soluções naturais, vindas da natureza. E as pragas por aqui nem sempre são um problema muito grande, pois aqui trabalhamos o solo para que a planta já cresça fortalecida o suficiente (como nós quando nos alimentamos adequadamente e pegamos um resfriado) para quando a praga vier ela estará mais forte para combatê-la.

 

  • Voltamos ao ciclo natural da vida, respeitamos o tempo e espaço de cada planta

 

Assim como nós temos nosso tempo de “maturação” e aprendizado. Nascemos bebês , aprendemos a nos alimentar com sólidos e vamos nos desenvolvendo no decorrer dos anos. Não adianta você querer que seu filho de 7 anos compreenda tudo o que você com 35 já sabe. É impossível. Na natureza é a mesma coisa. Cada vegetal tem sua época específica de vida, tem épocas que ele não nasce, tem épocas que temos para “dar e vender” como dizem. Cada planta nasce dentro do seu ciclo de vida, não forçamos que cresça mais rápido (com químicos) e nem a deixamos sozinha. Ela tem seu solo rico em microrganismos, tem seus polinizadores, tem vento. VIDA. O homem começou a se esquecer disso quando iniciou a devastação da diversidade Florestal para começar as monoculturas (por volta 1700) na Era das Grandes Embarcaçoes e da Colonização. Por isso reforço aqui mais uma vez, vamos ENXERGAR e não só OLHAR.

  • Policultura

 

Já pegando o gancho do último item, um fato importante é a Policultura. Uma espécie também depende de outras na hora do seu crescimento (assim como o organismo Floresta) assim como a policultura ela enriquece ainda mais o solo.

E o fato mais importante aqui é que num mesmo espaço de terra conseguimos plantar muito mais variedades ao mesmo tempo do que uma produção convencional. Assim, muitas plantas podem nascer em conjunto aumentado a variedade na oferta dos produtos numa mesma época.

  • Lei da oferta e da procura- desmistificando a produção orgânica

 

E aqui entra um item muito importante. Para aumentar nossa margem de produtos orgânicos, precisamos da procura. Quanto maior a procura, maior o interesse em produtores se transformarem em orgânicos. Temos dados muito pequenos ainda para mostrar. No Brasil temos 12 000 produtores pequenos de orgânicos, mas isso represento menos de 1% da fatia agrícola do país. Nós da FAZENDA MARIA lutamos por mudar isso. E você que está lendo esse artigo também pode ajudar. COMO? Incentivando seus amigos a consumir mais orgânicos.

Obrigada!

Qualquer dúvida é só mandar um email: deborah@fazendamaria.com.br

Bjos