Imunidade x Compostos Bioativos

Quando pensamos em imunidade o que vem na sua cabeça? Para nos fortalecer  nesse momento que estamos passando precisamos ter autocontrole e saber que tudo isso vai passar, mas antes de passar, precisamos nos precaver.
Quem já cuida da alimentação está em vantagem nisso tudo, pois uma alimentação balanceada, rica em nutrientes ajuda nosso corpo a repelir vírus e bactérias de forma mais eficaz.  Você já ouviu da sua avó “Come essa maçã, essa fruta, pois se você ficar com fome você vai estar protegido e evitar ficar doente”?. E é tão maravilhoso, que numa produção orgânica é esse o mesmo princípio usado. Um solo bem nutrido e rico em matéria orgânica , fortalece a planta para passar pelas moléstias de uma forma mais eficiente.
Alimentar-se de plantas, alimentos vivos, sem conservantes é a melhor forma de nos manter-nos nutridos . Pesquisas mostram que se o alimento for orgânico, não só diminui as taxas de pesticidas, como a quantidade de nutrientes aumenta. Produto orgânico possui  alto índice de nutrientes e compostos bioativos muito mais presentes.
Mas o que é composto bioativo? São compostos secundários das plantas, relacionados com seu sistema de defesa contra a ação de radiação ultravioleta ou doenças. Eles desempenham o papel no homem de antioxidante, estimulação do sistema imune, equilibra os níveis hormonais e ainda atua como antibactericida e antiviral.
Todo alimento orgânico é rico em compostos Bioativos, pois não são forçados a crescer, são colhidos em época, na sua melhor “forma”, em sua melhor fase. E o sabor então, é muito mais saboroso, é mais doce, mais suculento. Muitos produtos convencionais recebem uréia e hormônios que forçam um crescimento indevido, deixando os produtos muito grandes e fora da sua fisiologia natural, por isso notamos que o sabor dos alimentos convencionais e orgânicos são diferentes devido aos compostos bioativos.
Planta é um ser vivo, e tudo o que acontece com ela é fruto de uma estrutura de funcionamento. Quanto mais cuidado, mas carinho e mais respeito, mais amor ela nos oferece; simples assim!  Esse é o ciclo da vida, e assim deveria ser em todos os quesitos humanos. E você, qual alimento você escolhe a partir de hoje?

A Primavera

 

 

Está chegando a estação das flores. Estação linda e sem dúvida muito mais florida. Como as flores gostam dessa época do ano. Gostam tanto que já começam a anunciar a estação antes mesmo dela chegar de fato.  Não temos muitas chuvas e nem o calor e o frio são fortes. Temperaturas amenas e propícias às nossas lindas flores.

Falando como produtora, como alguém que vivencia as flores comestíveis de perto, lá na Fazenda Maria todo ano nessa época começo ver como nunca as flores de mostarda, de coentro e as da rúcula.

As calêndulas também ficam esplendorosas, amarelas, vibrantes. As lavandas criam um mar de perfume e cor. As cravinas também nos presenteiam com suas cores vivas, avermelhadas e lilás com um sutil e significante fundo branco, que só faz exaltar a sua cor.

As flores do manjericão já são mais acostumadas a aparecer o ano todo, mas ajudam a complementar a paisagem aromática e atrair cada vez mais as abelhas. Abelhas essas que fazem uma linda dança entre os manjericões e as flores.

A capuchinha por ser uma flor de inverno ainda se sustenta com os resquícios dele. Mas sabemos que assim que a primavera se despedir já não a teremos mais entre nós.

Os Ypês também, mostram-se com suas flores. E flores comestíveis. Encontramos  flores amarelas, brancas, rosas e roxas. Uma árvore tão ornamental, mas que também produz flores saborosíssimas.

A natureza tão perfeita com sua magnitude e transparência, sabe nos presentear com tantas cores e vida. E olhando as flores não nos damos conta muitas vezes que elas estão ali para proteger o ovário da planta e atrair com seus aromas e cores os insetos polinizadores, pois sua “intenção” na verdade é proliferar sua espécie e gerar o seu fruto.

Em homenagem à essa estação convido-os a participar da minha palestra que vai acontecer dia 21-out em São Paulo no Clube Hebraica. Teremos degustação das flores e muita desmistificação sobre seus usos culinários. Para mais informações enviar email para deborah@fazendamaria.com.br ou por wats 11-97051 9042.

Seja Bem-Vinda Primavera!

Deborah na Fazenda @deborahnafazenda

FLORES COMESTÍVEIS E COMPOSTOS ANTIOXIDANTES

É nas pétalas das flores que se encontram os compostos antioxidantes, os minerais e as vitaminas. A cor, manifestada por estes órgãos, justamente se sobressai devido a presence desses micronutrientes.

Quanto maior o teor de compostos fenólicos presentes nas flores comestíveis maior a atividade antioxidante delas. Elas possuem diversos compostos fenólicos (ácido gálico, kaempferol, quercetina, apigenina, ácidos clorogénicos, etc.). Os teores destes compostos variam ao longo da maturação da flor e também ao longo do armazenamento, após a colheita, pelo que também a atividade antioxidante sofre variações.

A cor das flores reflecte, no essencial, os teores e tipos de carotenóides e antocianinas presentes. Os teores destas últimas estão associados aos níveis de flavonóides totais, logo à atividade antioxidante.
E os benefícios? São vários!

Os compostos antioxidantes previnem o envelhecimento precoce por dentro e por fora, desde rugas até doenças cronico degenerativas como mal de Alzheimer, cancer, Parkinson.

A presença de carotenóides está ligada a uma redução do risco de cataratas e degeneração macular, entre outros efeitos benéficos para a saúde.

Os efeitos anti-inflamatório, antimicrobiano e antiviral são outros atributos conhecidos das flores comestíveis, estando relacionados com a presença de flavonóides, mas também de compostos responsáveis pelo seu aroma. Estes últimos incluem diversos terpenos, também presentes nos óleos essenciais extraídos dessas flores. As medicinas alternativas ou complementares usam, desde longa data, óleos extraídos de flores como agentes terapêuticos.

Elas podem ser usadas em saladas, sopas, pratos convencionais e até em chás sem perder sua capacidade antioxidante.

Devido às suas propriedades nutricionais e quimioprotetoras, as flores comestíveis podem ser classificadas como nutracêuticos e utilizadas frequentemente na alimentação humana.

 

logo nutri